Entendendo e manejando a relação do sono com o colo

Dormir no colo é normal

A necessidade de balanço e contato físico é natural para os bebês. Evolutivamente, os nossos filhos de hoje, conservam os mesmos mecanismos de sobrevivências dos filhos de nossos ancestrais nômades. Movimento constante, ouvir barulho constante e  sentir o calor do corpo são sinônimos de sobrevivência. Se encontrar em silêncio, na escuridão, sem se mexer, e com braços e pernas soltos, só poderia significar uma coisa: a sua mãe teria lhe esquecido, abandonado ou perecido. O colo garantiu a sobrevivência dos bebês na antiguidade, garantindo proteção, modulação da temperatura e amamentação em livre demanda .

É claro que hoje não somos mais nômades, e não há nenhum perigo aguardando a criança na escuridão do seu berço, nos sabemos, mas os bebês não! Enquanto eles não são capazes de ir atrás de nós, precisam da sensação de movimento constante, barulho constante e  aconchego para estar calmos de conseguir dormir. Para o cérebro em desenvolvimento do seu bebê, o balanço ajuda estabilizar seus sistema de percepção sensorial, uma vez que se estimula o seu sistema vestibular, o cérebro se concentra na manutenção do equilíbrio, ofuscando temporariamente a percepção de outros estímulos sensoriais, o que permite que relaxe e alcance a sensação de segurança e proteção para poder adormecer.

Obviamente, não dá para passar 24 hs do dia, 7 dias por semana carregando o bebê, é exaustivo demais. Gradativamente, as necessidades da mãe e as necessidades do bebê, vão encontrando um equilíbrio, na medida que o bebê descobre que a cama, carrinho ou berço também são seguros e confortáveis, o dormir, e posteriormente o adormecer, pode ir saindo do colo. Reconhecer que estar fora do colo também é um local amigável e seguro, se sentindo acolhido e interagindo com o ambiente de forma tranquila, é o primeiro passo para a criança aceitar dormir fora do colo também. Aumente gradualmente o tempo fora do colo, mantendo a interação através de contato visual e conversas constantes. Para seu bebê não basta estar ao lado, ele precisa ver, ouvir e interagir com você. Se for menor de 3 meses, sua visão está em desenvolvimento, com o que distancias maiores a 1 metro podem ser muito para conseguir lhe enxergar.

2 sem_16


Para conseguir que o adormecer saia do colo, é importante deixar claro para criança que há disposição para lhe acompanhar mas de outras formas, oferecer o movimento e estar presente sem precisar estar no colo, balançando numa rede, no carrinho,  tapinhas rítmicas no bumbum, balanço dos ombros e shiado, deitados juntos na cama. O colo oferece contato físico e movimento, então será substituído por contato físico e movimento, na hora de adormecer principalmente. Para isto ter um roteiro de sono consistente que propicie o relaxamento é essencial.

Se o colo na hora de adormecer e dormir está dificultando o descanso da família, pode ser conduzido um processo para manejar a associação do sono com colo gradual, sem deixar o bebê chorando, lhe acolhendo sempre que precisar, lhe tornando mais confiante e construindo uma relação mais segura com seu ambiente (o seu quarto, seu berço, o carrinho, a creche). É importante levar o processo tanto para o dia como para a noite, trabalhando uma soneca de cada vez, um dia de cada vez, uma noite de cada vez. Sempre observando a fase que o bebê se encontra, e garantindo o bom descanso.  

1 sem_1

5 Dicas para manejar a associação do colo e o sono em bebês

1- Comece permitindo que o fim da soneca aconteça fora do colo, se dorme 20 minutos no colo e ao ser deixado no carrinho acorda após 20 min, então o sono foi de 40 min, o que dependendo da idade já é aceitável. Se houver dificuldade para retirar o embalo no colo, então façam um processo gradual, estipule um tempo máximo para ficar no colo e a partir dele vai reduzindo o tempo todo dia, se for 30 min p.e , deixa esses 30 min no primeiro dia, e vai reduzindo em uns minutos nos próximos dias, assim no dia seguinte deixa no carrinho após 25 min, logo nos 20 min, 15 min,… até conseguir começar o adormecer diretamente no local escolhido. Tenha paciência porque não é fácil, vai precisar muita repetição, tentativas e erros fazem parte do processo. Pode ter uns resmungos no começo,  se há choro não hesite e acolha. 

2-  Crie a ilusão de colo, faça um ninho para o bebê dormir, usando a almofada de amamentação ou um rolinho em forma de U.  A postura mais segura para dormir é barriga para cima, corpo todo inclinado 30-45°, o bebê irá ficar semi sentado. As pernas em postura de sapinho com a almofada contra o bumbum.  O ninho oferece a ilusão de colo que irá permitir que seu bebê mantenha o estado de sono após ficar no berço.

3- Tome cuidado com o contraste de temperatura e pontos de pressão no momento da transferência. No inverno, por exemplo, um lençol de algodão pode ficar bem gelado, o que causará uma mudança abrupta da temperatura de seu colo, quentinho, para o berço frio, o que obviamente irá acordar o bebê. Esquentar ou usar um soft por cima do berço para atenuar o contraste de temperatura pode ser uma boa ideia nesse caso.

DSC03842.JPG

4- Teste outras formas de embalo:  uma rede dentro do berço, rede com o sling. Balanço na rede grande, cadeirinha de balanço ou carrinho. Embale até adormecer, mas fiquem atentos caso se apresentem despertares precoces. Tente se antecipar e embale novamente ainda na fase de sono leve para conseguir alongar a soneca.

5- Barulho constante. Use som branco (white noise) , som de útero, estática, barulho de ventilador, ar condicionado ou o bom e velho “SSSSSS” . Lembre que seu pequeno esteve 9 meses sendo embalado pelo barulho constante. Adicionalmente, o barulho monótono e constante ajudará abafar os sons do ambiente que podem prejudicar o descanso.

Manejando a associação do sono com o colo em crianças maiores de 1 ano

Em crianças maiores de um ano, onde o desenvolvimento cognitivo alcança um novo patamar e a comunicação se torna mais importante na rotina do dia dia, o processo de desassociar o sono do colo deve ser mediado pela conversa constante. Nesse caso é importante mostrar para criança que existe um limite, que o colo cansa, mas que há disposição para lhe acompanhar, deitados na cama, sentando do lado dele. Novamente o colo será substituído por contato físico constante.

Ajuda muito nessa fase trocar o berço por uma caminha baixa onde o pai ou a mãe possam deitar do lado (veja mais sobre o apego ao berço), e é claro juntando a estratégia a um bom roteiro de sono que propicie o relaxamento.

Priorize o descanso! Se seu filho está doente, ou simplesmente está passando por um dia difícil, prefira deixar a soneca no colo a pular a soneca. Para isso, usar os braços ou barriga do pai, o sling e se permitir curtir a soneca do seu pequeno, relaxando junto dele, vai ser muito melhor do que brigar com o sono e insistir no processo num dia ruim. Depois virá outra soneca ou outro dia, e então você poderá retomar o processo novamente

Precisa ajuda?

A consultoria Mães com Ciência pode ajudar com o sono, desmame , desfralde, ajustes na amamentação e educação positiva.  Saiba como funciona aqui ou  Agende uma consulta virtual aqui

Texto original de Zioneth Garcia

Veja também.

O sono dos bebês

Quanto deve dormir meu filho?

Onde devem dormir nossos filhos?

Manejando a associação da sucção com o sono em 6 etapas

Melhorando o sono de nossos filhos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s