Desmame gentil conduzido passo a passo

Para finalizar a serie de textos sobre o desmame gentil, deixo esse guia com dicas práticas para quem está caminhando nesse processo. Precisando ajuda é só procurar a consultoria de desmame gentil do Mães com Ciência


Se você apenas começou a pensar no desmame e ainda tem sentimentos confusos sobre o tema ou ainda não tem certeza se é mesmo o desmame que você precisa, então sugiro que antes de continuar a ler esse texto passe e leia aqui:

Desmame com respeito

Desmame não é solução mágica

Amamentação continuada: Uma mistura de doce, azedo, salgado e amargo

Agora que você já tem certeza do que quer e está determinada a seguir em frente com o desmame conduzido, e deseja fazê-lo de forma gentil e respeitosa com seu filho, sem deixar de lado seus sentimentos, esse texto irá lhe oferecer medidas práticas que você pode começar a tomar desde já.

Desmame Gentil

O objetivo do desmame gentil é acelerar o processo que aconteceria naturalmente de forma mais demorada, nesse processo a criança passará a suprir as necessidades nutricionais e emocionais do peito aos alimentos saudáveis, o relacionamento com a mãe e o relacionamento com seu entorno familiar e social. Tenha em mente que num desmame conduzido, quando a velocidade é adequada para a dupla, ambos só tem a ganhar, assim, tente não colocar metas de tempo ou datas de validade para o desmame acontecer, isto só aumenta sua ansiedade, a melhor forma de saber que está na velocidade certa é acompanhar o seu corpo e o comportamento de seu filho. Se tudo vai bem seu corpo responde diminuindo gradualmente a produção, a criança não tem mudanças negativas abruptas no seu comportamento e, principalmente, você se sente mais feliz e tranquila. Você não precisará ( e não aconselho) tomar medicações nem realizar nenhum procedimento para secar o leite. No caso de apresentar ingurgitamento mamário ou seu filho manifestar comportamentos muito negativos (compatíveis com uma síndrome de abstinência- choro descontrolado, ansiedade, insônia, etc)  após qualquer tentativa de desmame ou controle da demanda, então  PARE, volte atrás, avalie novamente e retome após se estabilizarem emocional e fisicamente.

A partir da experiência conduzindo o desmame de meus dois filhos (entre 20-24 meses a primeira e  24 – 30 meses o segundo), aconselhando e acompanhando outras mães nos seus processos de desmame, surgiram essas cinco fases essenciais para conduzir um desmame gradual para crianças acima de 18 meses preferivelmente, ideal acima dos 2 anos. Evite as comparações, até mesmo se tiver outros filhos. Lembre que o desmame é um processo único para cada dupla mãe- filho, aqui você  encontrará um guia para achar seu próprio caminho.

Bolo MCC

1- Boa alimentação

Garantir que seu pequeno terá uma boa alimentação e que o leite materno não fará falta nutricionalmente para ele pode ser um verdadeiro desafio, por mais que após um ano eles já comem de tudo “em teoria” , na prática sabemos que há fases de comer mais ou menos, e depois de dois anos então, o apetite se junta com afirmação dele mesmo através do “NÃO”. Podem começar ser bem seletivos e dizer não para tudo que é oferecido. Tenha paciência, e não deixe de oferecer, use suas habilidades de convencer e cativar. Mais importante que quantidades de comida, é importante a qualidade dos alimentos. Lembre a alimentação saudável começa com o exemplo, então:  

  • Coma hoje como espera que seu filho coma amanhã. não adianta pedir que seus filhos comam frutas e legumes se você faz feio para elas. Veja aqui
  • Conheça as necessidades nutricionais de seu filho em cada idade, não peça que ele coma mais do que ele pode ou quer. Veja as paginas 34-35 do manual de nutrologia da sociedade Brasileira de Pediatria sobre alimentação acima de um ano  
  • Foque na qualidade mais que na quantidade. Observe o balance nutricional diário, e equilibre ao longo das refeições do dia: Se o café da manhã não foi bom, capriche no lanche da manhã, se o almoço deu problema, então compensa no lanche da tarde. É importante não substituir alimentos por leite, o aleitamento faz parte mas não é mais a principal fonte de nutrientes.
  • Acredite no que você vê, se seu filho está crescendo bem, com ótimo peso e se desenvolvendo saudavelmente, então não há motivo para se preocupar, a alimentação está sendo suficiente.  
  • Se seu filho definitivamente não come, e você acha que isto está afetando seu crescimento, ganho de peso ou desenvolvimento geral, então é bom dar uma avaliada com o pediatra para descartar qualquer problema de saúde (desde uma anemia, infeção urinária, parasitoses, etc). E lembre que o Leite materno não é a causa de seu filho não comer, pelo contrário, pode ser o que está segurando as pontas, evitando que seu estado de saúde seja pior.
  • Não precisa introduzir mamadeira,chupeta nem copinho de bico mole (que nada mais é que mamadeira disfarçada), desmame mediado por esses itens não é desmame, é substituição! Depois você terá que fazer tudo de novo para retirar a mamadeira, a chupeta ou o copinho de bico mole.  
Educação positiva
Consultoria para educação positiva

2-Ter uma comunicação efetiva com a criança

O choro é a forma que tem as crianças para se comunicar, por mais que já estejam  falando, elas ainda não contam com uma bagagem de palavras suficientes para dizer o que realmente querem quando precisam. Às vezes pedem uma coisa (geralmente o peito) querendo ou necessitando realmente outra. Então:

  • Identifique os diferentes choros: como é o choro de tédio, choro de atenção, choro de fome, choro de cansaço, choro de dor.
  • Encoraje seu bebê dizer com palavras, gestos, sinais ou mostrando o que ele quer.
    • Tetê ou mamar, colo, carinho, comida, água, brincar, dormir, fez dodói
    • Não é preciso que seu filho tenha fala perfeita, é claro que ajuda, mas o importante é entender o que ele pede. Pode ser com uma sílaba ou um grunhido. Se você entendeu está valendo!
  • Dedique tempo para a criança.
    • Brinque no chão, volte a ser criança.
    • Inclua a criança na rotina de casa: Convide a ajudar na cozinha, limpar a sala, pendurar roupas.
    • Mostre que confia nele. Dê pequenas tarefas, adequadas para a idade.
  • Atenda as necessidades básicas a tempo. Só isso já vai lhe diminuir bastante as chances de choro.  
    • Usar uma rotina desenhada visível para o seu filho ajuda muito a  organizar as atividades.
    • Marque na rotina os horários de comer, dormir, tomar banho, de brincar com a mamãe, de brincar com papai, da mamãe ficar sozinha, do bebê brincar sozinho, de fazer almoço, etc.
    • Não desenhe na rotina a hora do peito, mesmo que ele seja sempre antes de dormir ou para dormir. Dessa forma seu pequeno não terá um lembrete caso esqueça de pedir.
  • Crie estratégias para consolar seu filho em diversas situações. (Dodói, medo, solidão)
    • Comece oferecendo o seio nessas situações, porém, associado a algo mais, uma música nos dodóis, um determinado jeito de abraçar, acariciar, um beijinho no dodói, etc. Com o tempo vai retirando o peito e fique só com esse “algo a mais” que funcionou.
  • Não fale do desmame na frente do bebê, nem mesmo se você acha que ele não está ouvindo. Eles têm ouvido 360°!  E percebem essas conversas sobre ele, entender suas intenções, isto pode dificultar todo o processo.

 

Resultado de imagem para criança dormindo
Consultoria de sono

 

3- Controle a demanda do seio e se antecipe às necessidades.

Muitas crianças o que mais querem quando pedem para mamar o dia todo é atenção, sem perceber podemos deixá-las esperando durante boa parte do dia “brinca aqui eu vou fazer comida”,  “fica aqui enquanto mamãe lava roupa”, “fica olhando esse desenho enquanto a mamãe arruma a bagunça”, etc. Nesse caso pode ser melhor estratégia convidar a criança a participar da atividade, mesmo que isto signifique demorar mais nela. Convide a criança a lhe ajudar e ofereça pequenas tarefas conforme a idade e suas habilidades (mexer a salada, alcançar os grampos, ajudar com a pá de recolher lixo, etc).  Dessa forma ela não precisará disputar a sua atenção, estará integrada nas atividades do lar e distraída.

  • Avalie uma mamada de cada vez.
    • Qual necessidade básica precisa ser atendida?  Descobriu? Atenda!
    • Está entediado? Quer atenção? Está dodói?
  • Não ofereça!  Espere ela pedir. (Isto é essencial)
    • O peito pode ser uma muleta para as mães. Um cala boca ultra rápido em qualquer situação. Mas não é isso que queremos, certo? Às vezes o desmame é mais difícil para nós do que para eles!
  • Feche o acesso rápido! Troque as blusas de decote largo que permitem acesso rápido ao seio por roupas mais estruturadas, que exijam de você mais esforço para expor os seios na hora de dar de mamar. É incrível como uma atitude tão simples já nos predispõe a pensar e avaliar a necessidade de dar peito em qualquer situação.
  • Combinem lugares, horários, situações ou duração das mamadas. Não tem receita, é você com seu pequeno que irão ver qual é a melhor estratégia para vocês. Algumas alternativas podem ser:
    • Combinar de mamar só num determinado local, a caminha dele p.e.
    • Combinar de mamar só enquanto tiver sol. Essa estratégia é boa para o desmame noturno, e pode acompanhar da oferta de alternativas como água e companhia. Lembre que tirar o peito a noite não garante noites de sono sem acordadas múltiplas. Problemas de sono? Saiba mais sobre a consultoria de sono aqui
    • Combinar de mamar enquanto você canta uma musiquinha ou contar até 10-20-30.
    • Combinar de mamar só em casa, essa estratégia funciona se o que está incomodando ou atrapalhando são os comentários de terceiros sobre a amamentação de seu bebê-criança. No caso vale lembrar a cada saída o combinado. “Pode mamar agora antes de sair e depois só quando a gente voltar! “
  • É importante CONVERSAR com a verdade. Explique de forma que a criança entenda que a amamentação do jeito que está não está funcionando para você,  que está difícil. Seja clara com ele, é dor? É cansaço? Desconforto?  
  • Reforce positivamente a comunicação. Ajude-o nomear os sentimentos e situações, raiva, tristeza, nojo, frustração, felicidade, emoção, ansiedade, etc.
    • Usar as ferramentas da disciplina positiva ajuda muito nessa fase. Veja uma introdução à disciplina positiva  aqui  
    • Avalie a forma como interage com seu filho. Que tipo de mãe quer ser? veja mais sobre disciplina positiva
  • Respeitem os combinados.
    • Use distrações quando o bebê solicitar mamar fora dos acordos. A velha técnica da enrolação. “ahhh mas mamar agora? não seria mais legal (ofereça algo irrecusável)” .
    • Se enrolar não funciona então deixe claro, “eu sei que você quer muito mamar, mas agora não é hora / local de mamar, posso te dar colo enquanto chega a hora/local certo”. Acolha o choro. Todo pedido deve ser atendido, mas isto não significa que deve ser aceito!

Criação dos filhos

4-Envolver a criança ativamente no seu ambiente social – familiar – escolar

  • Mostre que existe muito mais mundo além do peito.
    • Estar na creche não é essencial, ajuda, mas pode ser facilmente substituído por mais saídas ao parquinho ou qualquer outra atividade onde a criança tenha oportunidade de interagir com semelhantes sem ter atividades dirigidas (aulas de….não contam nesse caso), precisa de ócio, deixar a criança conviver com crianças sem nada preestabelecido para fazer.
    • Marque café da tarde com amigas com filhos da mesma idade ou idades próximas por exemplo. Troque dias livres, um dia você fica com as crianças outro sua amiga querida fica, assim ambas ganham um tempo livre de filhos.  
    • A família pode ajudar criando espaços para a criança interagir sem a presença obrigatória da mãe. O pai ou qualquer outra figura familiar digna de ter a confiança de seu filho (avó, tia, amiga) pode mostrar o mundo para ele, levar ao parquinho ou passear em qualquer lugar bacana para a criança, passar a tarde com ele em casa, sem você presente.
    • Procure atividades para ocupar seu tempo e sua mente, aproveite o tempo que seu filho está sem você para cuidar das coisas que deixou pendentes desde o nascimento (academia, trabalho, comprar roupas, descansar, novas leituras, novos seriados, fazer trabalho voluntário, etc).  
  • Mostre que existe muito mais mãe além do peito:
    • Brinque e dedique tempo exclusivo de qualidade à criança.
    • Façam coisas que não fariam antes por ele mamar.
    • Se permita explorar o mundo dele, indagar sobre como eles entendem o mundo e as coisas é bem divertido!

 

Resultado de imagem para mulheres comprando e celebrando

5-O luto: finamente o desmame.

O desmame pode vir acompanhado de sentimentos ambíguos para a mãe, por um lado a felicidade do dever cumprido e até sensação de liberação. Mas por outro lado, pode haver também uma terrível sensação de perda pelo bebê que cresceu e não depende mais exclusivamente de você.

  • Pode bater saudade de seu bebê mamando. Sentir o peito vazio. Com falta daquele bebezinho pequenininho no colo. Ele continua lá! Pegue-o no colo e aperte bastante!
  • Encare o luto, celebração ou viva sua nostalgia.
    • Pode fazer um compilado de fotos de seu bebê mamando em diferentes idades e entregar para ele.
    • Pode querer um ritual de despedida do tetê (mesmo que não seja a última vez que ele mamar) será sua despedida. Recomendo que faça isto se você percebe que passam-se 3-4 dias sem pedir o tetê e de repente lembra (esse é um sinal que o fim está próximo).  
    • Pode querer uma celebração da nova fase “criança” de seu filho.
    • Pode querer celebrar comprando sutiã ou roupas novas (sem pensar em que tem que ser fácil para amamentar).
    • Pode querer um tempinho só para você
    • Lady’s Night com as amigas (já que a criança não depende do seio para dormir)
  • Pode querer mais um filho! Nessa fase muitas começam pensar no próximo filho (ou ele já está a caminho).

Seu bebê também vai sentir saudades do seio, pode acontecer que por muito tempo ele prefira deitar no seu colo, querer fazer carinho no seu seio, ou até mesmo pedir para mamar depois de semanas sem nem se lembrar como faz. É NORMAL! Acolha com naturalidade e reforce os logros dele após o desmame total, alimente a imagem de criança e incentive a auto estima falando como o peito ajudou torna-o a pessoinha grande e forte que é hoje.  

Como saber se o desmame está tudo indo pelo caminho certo?

Instinto! Você vai sentir. Se tudo vai bem, você estará tranquila e seu filho também (dentro dos limites da sua idade e seu temperamento), ele vai continuar crescendo e se desenvolvendo normalmente, você percebe que seu relacionamento continua forte como sempre, quiçá mais que antes porque agora ele se comunica melhor com você e outras pessoas, você se percebe mais calma e confiante. A diminuição das mamadas vai acontecendo gradualmente, de muitas vezes ao dia você passa a ter 4-3 mamadas por dia, depois 2-3 x dia, depois 1-2 x dia, depois  1 cada dois ou três dias, depois 1 x na semana, e um belo dia você percebe que já há mais de 15 dias seu filho não pede para mamar. Pode até mesmo vir lembrar de pedir mamar depois de um mês!  

Precisando ajuda com o desmame?

A consultoria Mães com Ciência pode ajudar. Saiba como funciona aqui ou  Agende uma consulta virtual aqui.

2 comentários

  1. Não consigo acessar o texto do link “Amamentação continuada: Uma mistura de doce, azedo, salgado e amargo”, retorna Página não encontrada…
    Estou buscando informações a respeito do desmame pois desejo finalizar a amamentação da minha filha mais velha e manter o tetê apenas da mais nova. Elas tem 26 meses e 9 meses, respectivamente, e a amamentação em tandem está me cansando, deixando de ser prazerosa… mas encontro dificuldades pois a mais velha vê a mais nova mamar e pede, chora, sofre… não quero fazê-la sofrer.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s