Amamentando

Amamentação do recém nascido

Amamentar é um comportamento natural, e como todo comportamento tem intrínseco um alto componente de aprendizado. O bebê e a mãe aprendem essa nova dinâmica da amamentação em seus primeiros dias juntos, o aprendizado é diário, a cada mamada, a cada dia, a cada noite.  Veja a seguir algumas orientações importante para esse processo.

Após o nascimento, graças aos hormônios liberados durante o trabalho de parto e pela dequitação da placenta, o seu corpo produz o colostro; não é Leite materno ainda, mas é extremamente importante para o bebê. Eles têm estômago muito pequeno, então não se preocupe se você sente que tem pouco colostro, pois seu bebê não precisa de muito. Esse colostro, que sai em poucas gotas, é suficiente para ele.

O terceiro dia de vida, após a chegada em casa costuma ser um dia crítico, o bebê pode chorar bastante e mudar algumas coisas na rotina que parecia estabelecida desde a maternidade: para ele, acaba de “cair a ficha” que nasceu, é tudo novo, tudo causa insegurança e medo. Adicionalmente, muitas mulheres após o nascimento do bebê ficam em estado de alerta o que lhes dificulta desligar e dormir efetivamente, muitas não dormem durante a internação e só vão conseguir descansar efetivamente em casa. E o cansaço uma hora chega, e pode ser justamente lá pelo terceiro dia .

Foto por rawpixel.com em Pexels.com

Esse cansaço acumulado faz tudo acontecer com uma maior intensidade: o choro fica mais alto, parece mamar com mais fome, querer mais colo, e, em geral, parece ter uma maior irritação. Nessas horas, respire, tente pensar com cabeça fria, use as ferramentas que tem ao seu alcance, seu colo e seu peito, eles sempre vão acalmá-lo. Capriche no contato pele-a-pele, que é o seu melhor aliado. Exterogestação, sling, banho de balde, som de útero são truques que sempre podem ser usados para acalmar o bebê. O colo do pai, o contato pele-a-pele com ele também está valendo. Bebês adoram dormir de barriga para baixo sobre o colo do papai, que é plano  e permite ouvir a batida do coração que lhes acalma, aproveite esses períodos de calma e vai tomar banho e relaxar um pouco.

A cada mamada avalie a mama, se necessário amoleça a aréola com massagem antes de oferecer o peito o bebê,  assim facilitará a pega correta.  É muito importante verificar se a pega está correta. A pega correta se aprende na prática, na tentativa e erro, uma orientação oportuna e correta irá lhe poupar de muita dor de cabeça. Mesmo que você não sinta sair nada de seu peito continue a oferecer. O estímulo do bebe sugando é de vital importância para descer o Leite materno. Enquanto o leite materno não desce, o colostro é muito importante, ele é tão rico em nutrientes e agentes imunológicos quanto o leite materno maduro.

 A pega correta não doe, mesmo que o seio esteja machucado. Não se permita amamentar sentindo dor. Procure ajuda e corrija a pega. Use uma postura confortável. Lembre que é o bebê que vai ao peito e não o peito ao bebê. As suas costas devem estar bem apoiadas, relaxadas, enquanto seus braços seguram o corpinho e uma das mãos ou antebraço a cabeça do bebê, e a outra o seio. Observe que a boca do bebê fique com os lábios virados (boca peixinho) ,  corrija se necessário. O queixo deve ficar encostado na mama, nariz livre e bochecha redondinha. 

Pega correta

A descida do leite materno:

Dependendo da via de nascimento, do estímulo do bebê, de ter entrado em trabalho de parto ou não, pode demorar de 3 a 7 dias. A única forma segura de fazer o Leite Materno descer é grudando no seu bebê, oferecendo o seu peito em livre demanda e mantendo contato físico constante com ele. Descanse com ele sempre, mesmo que você não consiga dormir, descanse! levante as pernas e pelo menos tente dormir junto, ligue uma musica suave e desligue dos aparelhos eletrônicos um tempinho. O descanso e o sono ajudaram na descida de leite, lembre que a prolactina tem seu pico fisiológico em fases de sono profundo, especialmente na madrugada, por isso é comum que o peito fique mais duro justamente na madrugada.

Nos primeiros dias da descida do Leite materno, pode haver um leve “empedramento” (ingurgitamento) mamário, às vezes até com uma febre leve. É normal, faça bastante massagem, sempre amoleça a aréola antes de oferecer o peito ao bebe,  assim facilitará a pega correta. Ajuda muito para manter a saúde da mama ter o hábito de fazer autoexame e avaliar a mama pelo menos uma vez ao dia, pode ser na hora do banho para verificar que esteja tudo certo. Se sente caroços, regiões doloridas ou qualquer alteração similar, já sabe que precisa caprichar na mamada apertando essas regiões para mobilizar o leite parado. Lembre que na pega correta o bebê deve pegar toda ou grande parte da aréola, e não só o bico.

Devo alternar os seios?

Alternar os peitos ao longo do dia fará diferença para você e não pra o bebê, você receberá estímulo em ambos os seios e terá uma produção simétrica. Para o bebê, não vai fazer diferença que peito oferece. Após algum tempo sem mamar, o leite materno que ficou no peito vai se diluindo, e muda inevitavelmente de composição. Sempre ofereça o peito aos primeiros sinais de fome. O peito deve ser oferecido em livre demanda, isso significa não contar tempo de intervalos entre mamadas nem de duração de mamada. Não se preocupe com relógio e horários. Ofereça sempre um peito por mamada até o bebe soltar ou dormir, garanta que o bebê mame do peito bem murchinho.

Você verá que o bebê fica com a boca branquinha, como se estivesse engordurada após mamar desse peito bem murcho, é um bom sinal de chegada ao leite materno mais rico em gorduras. A maioria de bebês dormem nesse momento, mas alguns, após essas mamadas bem eficientes podem sentir sede,  é onde entra o segundo peito. Você pode ver que seu bebê pede o seio mas não aceita o mesmo que estava mamando, ou mama sem vontade, e quando você oferece o segundo peito dá umas boas sugadas, dá uns golinhos e dorme.

Livre demanda
Imagem postada originalmente em fev de 2013 para o Grupo virtual de amamentação Facebook, tradução Livre de Zioneth Garcia.

Ofereça o peito mesmo que sinta ele “murcho”, lembre que o leite materno é de produção glandular, se produz no momento da mamada, e mesmo nesse peito “murcho” se produz  tanto o leite mais rico em água e açúcar, quanto o mais rico em gorduras. O bebê vai conseguir, se você praticar verdadeiramente a livre-demanda, controlar a composição do leite de acordo com as necessidades dele. A hora de colocar o bebê para mamar não é quando já está chorando, se antecipe e coloque o bebê no seio ainda calmo, aos primeiros sinais de fome, assim você terá mais chances de tirar e corrigir caso a pega esteja errada. 

Devo acordar o bebê?

Se o Recém Nascido dorme demais, garanta que no mínimo se alimente cada 3 hs. Se ele não acordar, deve ser estimulado a mamar. Tire as roupinhas, pegue-o no colo e molhe a boca com um pouco de Leite materno. Se ele dorme mesmo mamando, tente acordá-lo encostando a sua mão fria ou molhada na testa, mãos e pés, ou fazendo massagem circular nas bochechas. Mantendo  contato físico constante, colo contínuo, você vai garantir um bebê mais estimulado, que vai mamar na frequência certa e será muito mais calmo. Sua respiração e seus movimentos são o estímulo que seu bebê precisa para acordar e mamar.

Se seu bebê tem menos de 3kg de peso, deve ficar ainda mais atenta às mamadas. Após 2 horas dormindo, verifique o tônus muscular (resistência dos músculos) para não passar da hora de mamar. O bebê deve mostrar resistência ao movimento de pernas e braços, ou manifestar o reflexo moro (se esticar ou encolher todo) quando você pegar nele. Se por acaso estiver molinho, desengonçado, coloque para mamar imediatamente!

Manter a amamentação de madrugada, é importante 1tanto para o bebê como para você. É nesse horário que acontece o pico de prolactina no corpo da mãe, o hormônio que garante a produção de leite materno suficiente para o bebê. Se o bebê mamar bastante de dia, com pega correta e boa frequência, o normal é fazer intervalos maiores a noite. Por isso veja qual é a configuração na hora de dormir que mais lhe convém. O ideal é que o bebe RN esteja pelo menos no mesmo cômodo com a mãe. Se preferir, podem compartilhar a mesma cama, desde que seguindo normas de segurança essenciais. Veja aqui

Como saber que o bebê está mamando adequadamente?

Observe a frequência de xixis do bebê: mais de 5-6 fraldas bem pesadas de xixi ao longo do dia, são sinal que o bebê está mamando bem. Em caso do bebê não fazer xixi suficiente, verifique a pega e a frequência das mamadas e coloque para mamar mais vezes. Se for necessário, use a Técnica de compressão da mama para garantir que ele tenha mamadas eficientes. Caso não tenha xixi na fralda por mais de 8 hs, e ele apresentar febre, por favor, procure atendimento médico, seu bebê pode estar desidratando. O cocô também é um sinal muito importante e por vezes negligenciado, pelo menos 2-4 fraldas de cocô ao longo de 24 hs é ideal, a cor mostarda, amarela quase laranja é um sinal de adequado consumo de gordura. Se não há cocô e a frequência de xixi está baixa é urgente avaliar a frequência e eficiência das mamadas.

Para avaliar a eficiência da mamada ouça a deglutição, observe o movimento amplo da mandíbula, sinta a ejeção do leite e a mudança na consistência da mama. No caso do bebê mamar sem apresentar deglutição, estimule, use compressão da mama, e se não houver sucção nutritiva por mais de 1 -3 minutos, retire do seio, troque a fralda, dê uns beijinhos para estimular, acorde ele bem e ofereça novamente. A mamada do recem nascido nem sempre é continua, podem ser necessárias varias pausas, tirar acordar e voltar, para garantir que a mamada seja eficiente realmente. Com os dias o bebê vai calibrando as mamadas e ficando cada vez mais tempo seguido ao seio.

Lembre que não se trata de tempo que o bebê fica no seio, mas da eficiência com a qual ele mama. Um bebê pode ficar 1 h seguida no seio fazendo sucção não nutricional, uma sucção fraca e pouco eficiente na qual há baixo consumo de leite, onde há baixa frequência de esvaziamento dos dutos laticíferos da mama (ou seja, baixo estimulo para produção do leite materno). Um bebê que mostra sucção forte e deglutição constante por 10 min seguidos, pode consumir mais leite que um bebê que mama 1h com sucção fraca e baixa frequência de deglutição.

Posso dar chupeta?

Chupetar o peito não existe. A sucção mais fraca e devagar, não nutricional, é tão necessária quanto a sucção forte. As duas são igualmente importantes e satisfazem as necessidades afetivas do bebê e estimulam seu peito para produção de leite materno. Mesmo sem esvaziamento constante dos dutos, sua sucção fraca oferece informação à seu organismo para calibrar a composição do leite materno, a saliva do bebê contem informação reconhecida por vários receptores no mamilo, levando informações importantes à glândula que responderá com a composição de leite adequada ao bebê. Lembre que peito é muito mais que alimento; a amamentação oferece a vocês um vinculo único. O bebê encontra no seu seio conforto, segurança, aconchego, proteção, e relaxa quando há qualquer desconforto, lhe ajudando dormir. Peito para o bebê é sinônimo de AMOR de mãe. Para ele não basta ser amado: ele precisa se sentir amado. 

Quando você perceber que mesmo estando satisfeito nutricionalmente, o bebê procura bastante a sucção não nutricional, avalie se há desconfortos que podem lhe levar procura o seio para se sentir melhor: gases, cólicas, frio, calor, coceira, cansaço acumulado (muito tempo desperto), solidão (ficou muito tempo ficou do colo). Caso esteja cansada de dar o seio tente a exterogestação .

Evite usar bicos artificiais, eles só prejudicam o processo de adaptação da amamentação, chupeta, mamadeira, chuquinhas, bico de silicone, só irão piorar a incidência de ferimentos causados pela pega errada, já que a sucção nos bicos e no seio é muito diferente, especialmente o posicionamento da linguá pode ser muito afetado, podendo atrapalhar o ganho de peso do bebê, ou mesmo levá-lo rapidamente à confusão de bicos e um desmame muito precoce.

Não esqueça que a amamentação é um relacionamento de mão dupla, deve ser  bom para as duas partes, para você e para o bebê, por isso não hesite em procurar ajuda se sente dor ou seu bebê apresenta qualquer problema. Receber ajuda na hora certa faz toda diferença para obter sucesso na amamentação. 

Veja também
Por que dar chá, água ou suco para o bebê menor de 6 meses atrapalha o aleitamento materno exclusivo?

Cinco dicas para uma amamentação saudável e tranquila

10 Dicas práticas para ajudar uma mãe de recém nascido 

Guia básico de cuidados com o Recém Nascido em casa

Como funciona a produção do leite materno

Amamentação e confusão de bicos 

Precisando ajuda?

A consultoria de amamentação do Mães com Ciência está disponível em Joinville- SC  solicite um horário aqui

A consultoria Mães com Ciência também pode ajudar no sono, volta ao trabalho, desmame, desfralde e educação positiva. Saiba como funciona aqui ou  Agende uma consulta virtual aqui.

Texto de Zioneth Garcia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s