5 Dicas para ajudar as mães de recém nascidos em tempos de pandemia

Ter um recém nascido em casa já é um desafio, mesmo que se conte com a colaboração e presencia constantes de parentes e amigos. Mas em tempos de pandemia, passar pelo puerpério, sem poder contar com a presencia física das pessoas para ajudar, o desafio é ainda maior. No boletim epidemiológico do Ministério da saúde divulgado no dia 4 de abril, se incluem as mulheres no puerpério (até 42 dias após parto) entre os grupos de risco, o que significa que o isolamento social durante o puerpério se torna prioridade para proteção da saúde da mãe do recém nascido.

Mães e pais estão aprendendo os cuidados com seu recém nascido num cenário desesperador. Altas precoces, com 24 h após o parto, ou 36 h após a cesárea, aumentam o medo e a sensação de insegurança frente aos primeiros cuidados. Dificuldade para achar o álcool 70% para limpeza do coto, esgotado nas farmácias. Dificuldade para marcar o primeiro atendimento com o pediatra já que os horários de atendimento estão reduzidos. Sem falar do medo de qualquer intercorrência com o bebê ou a mãe que precise ida ao hospital onde o risco de contágio é maior.  

No atual panorama de pandemia, a recém mãe e as pessoas junto dela, apesar de isoladas socialmente, não precisam se sentir sozinhas. Mesmo de longe, família e amigos podem ajudar, acolher e garantir a saúde física e emocional da mulher durante seu puerpério. A seguir algumas dicas para dar apoio à família com recém nascido em casa.

5 dicas para fornecer apoio a distância para a puérpera

1- Ajuda com a comida. Refeições caseiras e preparadas com carinho são a melhor forma de mimar a recém mãe. Entre fraldas, mamadas, e outros cuidados com o bebê , o tempo para preparar um refeição caprichada pode ser bem escasso, e conseguir isso em horários regulares é praticamente impossível.  Um carinho em forma de comida pode ser tão bom quanto o colo da mamãe. Mandar marmitas para os novos pais não precisar se preocupar pelo preparo da refeição pode valer mais que um abraço apertado. Ter almoço e jantar garantido, comer um bolinho no café da tarde, ou saber que tem a sobremesa favorita na geladeira, para quem não te tempo de fazer refeições dignas é um luxo mais do que bem vindo. 

2- Ajuda com serviços domésticos a distância. Coordenar pequenas ajudas com os afazeres domésticos que possam ser feitos na sua casa, para aliviar a carga de quem está junto da recém mãe, permitindo que se concentre em outras demandas. Levar as roupas sujas para lavar e passar na sua casa, ou levar os animaizinhos de estimação para cuidar na sua casa enquanto passa a fase mais intensa dos cuidados com o recém nascido, pode ser de grande valor. 

Foto por J carter em Pexels.com

3- Ajuda com as compras de supermercado, feira, farmácia ou padaria.  Se você tem que sair para fazer suas compras, pode aproveitar para fazer as compras da família que está com o recém nascido em casa, dessa forma lhes ajuda se manter no distanciamento social e proteger a saúde de todos. Ligar para perguntar o que precisam, ou  pedir a lista de compras mostrará à nova família que os parentes ou amigos estão atentos às suas necessidades, e não os deixaram sozinhos, mesmo sem poder estar junto. 

4- Apoio emocional. Mesmo que não consiga mandar refeições, fazer compras ou ajudar com afazeres domésticos, pode estar presente acolhendo os sentimentos da recém mãe. Não precisa mais que disposição para ouvir, sem julgar, sem criticar e sem oferecer conselhos não solicitados. As mudanças do puerpério, com seus altos e baixos são normais, mas não deixam de ser difíceis, porém, podem ficar mais leves se temos alguém próximo nos lembrando que é uma fase , e que como outras em nossa vida, vai passar. Ligar regularmente, mandar mensagens, ou  combinar de fazer vídeo chamada, para saber da mãe (e não só do bebê)é um gesto muito significativo nessa fase. Para a mulher no puerpério não basta ser amada, precisa se sentir amada, e a melhor forma é sentir que temos alguém que pensa e se preocupa pelo nosso bem estar.

Nessa palestra se oferecem informações baseadas em evidências científicas, que ajudarão as novas mães construir um caminho de aprendizado e estabelecimento da amamentação mais seguro, encorajando perder o medo de errar, continuar tentando e identificar precocemente a necessidade de uma ajuda profissional. Saiba mais.

5- Ofereça informações embasadas e responsáveis. Não é hora de compartilhar fake news, nem de trazer alarmismo para a família com histórias de morte de bebês. A mãe de recém nascido não tem tempo de ficar ouvindo e vendo a centenas de vídeos e áudios de duvidosa procedência que andam rodando pelas redes sociais, evite ficar mandando essas coisas para ela. Também não é hora de ignorar as recomendações de isolamento social. É hora de cuidar da saúde física e mental da família,  manter o isolamento social e estimular práticas saudáveis com o recém nascido. Vale lembrar que atualmente as puérperas são considerada grupo de risco, e que a amamentação deve ser mantida, mesmo sob suspeita ou confirmação de infecção pelo COVID19. 

Precisando ajuda ?

A consultoria Mães com Ciência pode ajudar no sono, amamentação, desmame, desfralde e educação positiva. Saiba como funciona aqui ou  Agende uma consulta virtual aqui.

*Texto de  Zioneth Garcia

Veja também

Amamentação em casos de infecção materna

A amamentação do recém nascido

Alimentação materna e cólica do bebê

Guia básico de cuidados com o Recém Nascido em casa

10 dicas para tratar as cólicas em bebês

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s