Influência da alimentação na amamentação

Quero compartilhar com vocês a transcrição da conversa que tive com a querida nutricionista Raquel Bastos . Foi uma Live feita em 1 de novembro de 2019. Ela é nutricionista (CRN 3265, Goiânia -BR) e consultora internacional de amamentação IBCLC . A entrevista foi maravilhosa, uma verdadeira aula de alimentação materna.

Mães com ciência: 1- Quais alimentos ajudam aumentar a produção de leite materno?  é verdade que canjica, canja de Galinha , cerveja preta realmente aumentam a produção?  

Raquel Bastos R/ Uma pergunta muito interessante, recentemente vi um artigo que falava que 99% das mulheres manifestaram ter consumido algum tipo de  alimento ou substância para aumentar o leite, praticamente todo mundo. O mais interessante é que mesmo as mulheres que não referiram baixa produção de leite expressaram o consumo de algum alimento para tal fim. Ou seja, o uso de alguns tipos de alimentos para aumentar o leite é generalizado. 

Porém, não existe evidência de alimentos específicos que tenham efeito no aumento da produção de leite, nos estudos com ensaios controlados não houve mudanças significativas se comparadas com um placebo por exemplo . O que regula a produção de leite materno é a sucção o bebê, é importante que ao mamar ele consiga tirar leite da mama, estimulando assim a produção na glândula mamária. 

Apesar disto, é inegável que existem relatos e avaliações qualitativas que mostram que o alimento teve um efeito sobre a produção. Mas que o alimento em si, a sensação de cuidado, bem estar e prazer associado à refeição oferecida pela família favorecem o processo de lactância. Mas cuidado com o exagero, comam de tudo, mas sem consumo excessivo de alimentos ricos em calorias, eles podem levar ao ganho de peso materno, sem necessariamente melhorar a produção de leite materno. 

Foto por Cleyder Duque em Pexels.com

MCC 2- Dietas restritivas podem prejudicar a produção de leite materno ou deixar o leite fraco? 

R. B : R/ Dietas muito restritivas não vão comprometer a produção de leite. A produção de leite não está diretamente relacionado ao estado nutricional da mulher. De forma similar ao que acontece na gestação, durante a amamentação, o bebê vai retirar da mãe tudo o que ele precisa independente das reservas maternas. O leite não fica fraco, ele terá sempre a composição básica de nutrientes, adequada para o bebê. Porém, não se recomendam dietas muito restritivas durante a lactância porque precisamos cuidar também da mulher. Os requerimentos nutricionais da mulher que amamenta vão aumentar, ela vai precisa de mais energia, ou seja, de mais nutrientes para a produção de leite, do contrário o seu estado nutricional pode enfraquecer. 

Nos casos do bebê manifestar alergia alimentar, onde a dieta restritiva é necessária, o melhor é procurar a orientação de nutricionista para acertar a dieta materna, evitando que a restrição prejudique a saúde da mãe. No caso do bebê com alergia alimentar, o tratamento é justamente o leite materno com a mãe retirando o alérgeno da dieta.

MCC 3-  É verdade que  alguns alimentos podem causar cólicas no bebê? Quais são eles? 

R. B : R/ Com o último consenso de alergia a orientação de restrição alimentar na mãe para evitar alergia alimentar na criança não existe mais. Os estudos mostraram que não existe uma diferença significativa no risco de aparecimento de alergia alimentar nas crianças. De forma similar, não existe evidências que suportem que a restrição de alimentos atua como prevenção do aparecimento de cólicas 

Quando se tem um bebê com muita cólica, o primeiro é fazer um registro da alimentação da mãe, e ensinar a mãe observar o bebê, não se retiram alimentos de forma aleatória. O consumo em excesso de café (mais de 5 xícara por dia), chocolate  (450 gr por dia) e álcool, se sabe que pode sim aumentar a incidência de cólicas no bebê são. Vale lembrar que o choro do bebê e a cólica nem sempre estão relacionados com a alimentação da mãe. Um cafezinho não tem problema, podem tomar com cafeína mesmo. Um quadradinho de chocolate (25 gr) podem comer sem culpa. 

Existem casos particulares de intolerâncias alimentares no bebê, e nesses casos podem se apresentar cólicas até mesmo com o bebê mais crescido (8 meses p. e. ). Nesses casos específicos a mãe precisa observar e evitar o alimento específico que pode causar as cólicas. 

Alguns alimentos sazonais , podem ser consumidos em excesso e causar problemas pontuais. O amendoim, por exemplo, é um alimento que as mães costumam comer em excesso em época de festas junina e podem causar desconfortos no bebê. Comer uma porção de amendoim não tem problema, o problema é o exagero, pasta doce, paçoca, paçoquinha, praline, tudo no mesmo dia, todos os dias durante a temporada junina. Outro alimento é o alho, em algumas regiões seu uso é considerado galactagogo (que aumenta a produção de leite) mas seu consumo em excesso, também pode aumentar as cólicas nos bebês alguns alimentos. Temperar a comida com alho não tem problema,mas  tomar chá de alho ou cápsulas de alho pode sim causar a cólica. 

A amamentação não é o momento de experimentar alimentos muitos diferentes aos que a família come habitualmente. Se nunca comeram comida indiana, talvez não seja a melhor hora de se aventurar. 

MCC: 4- Quais alimentos que podem diminuir a produção de leite? 

R. B. R/ O álcool é um dos alimentos que podem comprometer a produção de leite. É muito comum a recomendação de consumir cerveja preta, porém, o álcool nela contido pode ter o efeito contrário ao desejado. 

O consumo excessivo de água também podem prejudicar a produção de leite. É importante esclarecer que é mito que consumir muita água aumenta a produção de leite. O aumento excessivo no consumo de água pode levar a um aumento inadequado da diureses e em consequência a mulher experimentar uma desidratação. 

O estado hídrico da mulher não vai alterar a produção de leite materno, ao igual que os nutrientes, o bebê vai obter o consumo de água básico necessário, não consumir água não vai causar baixo ganho de peso no bebê. Porém, pode sim faltar água para o organismo da mãe, a orientação de aumentar a ingestão hídrica não é para melhorar a produção de leite, mas para garantir o bem estar da mulher e prevenir sua desidratação. Com a amamentação o corpo da mulher consome precisa diariamente até 4 litros de líquidos, que podem ser obtidos tanto no consumo direto de água como de alimentos ricos em líquidos. 

Foto por Dominika Roseclay em Pexels.com

MCC: 5- Suplementos alimentares de proteína (como whey protein ou ovoalbumina) podem causar problemas para o bebê ou a mãe?

R. B :R/ Suplementos não causam nenhum problema para o bebê nem para a mãe. Mas é importante que seu uso seja acompanhado por um profissional, que avalie a dieta da materna para ver se é realmente necessária a suplementação, e qual seria a melhor opção em cada caso, é importante que tenha uma individualização. As necessidades de proteína durante a amamentação aumentam, então os suplementos podem ser sim necessários, especialmente se a mãe é uma atleta.

É interessante falar um pouco do exercício, já que existe uma cultura de medo do leite secar que priva muitas mulheres de fazer atividade física e esportiva. O leite não seca, é interessante melhorar o consumo hídrico, e a alimentação. Os suplementos nem sempre são necessários, um ajuste da dieta pode suprir os requerimentos da dieta materna na maioria dos casos. 

Uma pesquisa recente mostrou que o leite das mães que praticam atividade física tem uma quantidade de fatores anti inflamatórios e imunológicos maior. Apesar do leite materno sempre garantir seu padrão mínimo, em termos nutricionais. Os hábitos maternos saudáveis, vão melhorar a qualidade do leite influenciando a composição destes fatores imunológicos, é nesse sentido que a prática de esportes pode ajudar melhorar a qualidade do leite materno. 

Raquel Bastos.

É graduada em nutrição pela UFG, (CRN 3265 – Goiânia -BR), mestre em Ensino por Faculdade de Medicina da UFG, Res. Nutrição Clínica pela Escola Superior de Ciências da Saúde – DF, consultora de lactação internacional certificada por  (IBCLC), servidora da Secretaria de Saúde Distrito Federal. Educadora Parental Discipline Positive Association (PDA). Acompanhe no instragram @raquelbastos_nutri e conheça seus serviços em https://www.nutriraquelbastos.com/

Precisando ajuda?

A consultoria Mães com Ciência pode ajudar na amamentação, sono, desmame, desfralde e educação positiva. Saiba como funciona aqui ou  Agende uma consulta virtual  aqui.

Texto original de Zioneth Garcia

Veja também

Alimentação materna e cólica do lactante

10 dias para tratar da cólicas em bebês

Por quê choram os bebês novinhos?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s