Socorro! Meu filho começou a chupar o dedo

Seu bebê descobriu os dedinhos e aposto que o primeiro que você ouviu foi:  dá logo a chupeta! Mais fácil tirar a chupeta que o dedo! Mas calma, nesse texto vou tentar mostrar que chupar o dedo não é aquele bicho de sete cabeças terrível.

Alcançar as próprias mãos e dominá-las, conseguir levar a boca ou selecionar um ou outro dedo, é um marco de desenvolvimento importante, parece pouco para nós, mas para o bebê é um feito incrível. Ao redor dos 2-4 meses o bebê aprende dominar as mãos para, posteriormente, começar a segurar objetos. A intensidade dessa fase vai diminuir assim que começar segurar outras coisas para levar a boca, que começar descobrir o mundo ao redor. Para isso lhe ofereça opções para ele segurar e levar a boca, mordedores, objetos macios, se forem compridinhos melhor, são mais fáceis de segurar para ele.

Lembre que seu bebê está na fase oral (que vai durar até a idade do desmame natural), ele está explorando o mundo com seu sentido mais abusado, A BOCA, ou seja que, até uns 2-3 anos ele vai passar por vários picos que intensificam a mão na boca por diferentes razões, os dentes estão entre uma das principais razões para o bebê levar os dedos na boca, fique atenta para que possa oferecer ao bebê diferentes maneiras de aliviar o mal-estar na gengiva nessas fases.  

transferir (1)

Chupar o dedo pode oferecer autoconforto ao bebê, isso não é ruim, é normal durante a fase oral, algumas crianças que não costumavam chupar o dedo podem começar fazer isso quando experimentam mudanças abruptas na sua rotina: começar ir na creche, desmame abrupto, volta ao trabalho pela mãe, desfralde precoce, visitas em casa, etc. Chupar o dedo não é ruim para a criança, esse hábito vai passar de forma gradual na medida que a criança se desenvolve naturalmente.

Casos de chupar o dedo depois da primeira infância, na adolescência e vida adulta, são extremamente raros e podem ser considerados manifestações de algum tipo de carência psicológica ou afetiva, podem ser um sinal de uma fase oral mal resolvida por exemplo. Evite pensar de forma fatalista. Não é porque seu bebê de 2-4-6-12 meses chupa dedo hoje que continuará a fazer o mesmo quando tiver 8-9- 30 anos de idade. Porém, algumas de nossas atitudes podem sim acabar incentivando e fixando esse comportamento, sem que seja nosso desejo. O mais comum é lhe retirar insistentemente a mão da boca, NÃO FAÇA ISSO, só conseguirá fixar no bebê a associação mão na boca = atenção da mãe ou adultos ao redor. Também não incentive o comportamento lhe ajudando a colocar ou lhe colocando o dedo/mão na boca quando ele chorar. Se o bebê está no seu colo, se você ouviu o choro, ele não precisa se autoacalmar,  ele precisa que você o acalme, preste atenção para descobrir qual é a razão, pode ser apenas um pedido de atenção, “mãe me olha”. Permita que o bebê domine seu corpo, não interfira nesse processo para que ele possa transcorrer da forma mais natural possível.

Little brown eyed Caucasian baby sucking fingers

Os pitacos de dar chupeta logo, quando veem nosso bebê com dedo na boca sempre chovem, as pessoas em geral tem a falsa ilusão que a chupeta é mais fácil de tirar que o dedo. Mas não é bem assim. Apenas parece ser mais fácil, especialmente para os adultos. Quem sugere dar chupeta dirá: “mas depois é só tirar, jogar fora, inventar alguma historinha (Papai Noel , o coelho da páscoa, a fadinha levou) e pronto, parou!”

Mas lhes pergunto então, como fica a criança? Onde que esta criança vai suprir as necessidades de conforto oral que estava satisfazendo na chupeta? As necessidades da criança não somem, pelo contrário, a insegurança pode tomar conta e acabar com várias implicações comportamentais. Não é raro, alias é bem comum, crianças que sofrem uma retirada precoce ou abrupta da chupeta desse tipo (e que não são amamentadas) descobrirem tardiamente o dedo ou desenvolver hábitos orais deletérios ( roer unhas, roer canetas, ou simplesmente colocar tudo o que cair na sua mão na boca). Nesses casos a chupeta foi embora mesmo,  mas a necessidade de conforto oral se mantem viva e vai ser suprida de outras formas uma ou outra hora.

O processo de retirada de bicos artificiais tem as  mesmas dificuldades de um desmame do seio, ao final, a criança precisa conseguir o conforto que obtinham na sucção do bico no relacionamento com sua mãe, pai e cuidadores. Ou seja, acaba transportando o vínculo afetivo que tem com o objeto ao relacionamento com as pessoas. Para refletir um pouco mais sobre a retirada de chupetas e mamadeiras veja aqui

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Se seu filho mama no seio não precisa de chupeta e de fato não é recomendada por nenhum profissional antenado no desenvolvimento da primeira infância. Ela pode acabar causando uma confusão de bicos e muitos problemas para a amamentação (veja porque aqui )  . Basta ver as orientações de UNICEF, OMS , Ministério da saúde e Sociedade Brasileira de pediatria, todos eles desaconselham.  Garantindo que o bebê tenha um bom desenvolvimento físico e psico afetivo, mantendo um relacionamento saudável da criança com sua mãe, pai, familiares próximos e outras pessoas no seu convívio , ela não terá porque se aferrar de forma patológica ao dedo nem a nenhum outro hábito, já que suas necessidades de conforto serão supridas no relacionamento familiar e social.

Ainda, se o hábito do dedo se mantém além do esperado, um forte relacionamento com a mãe, com uma boa linha de comunicação e confiança será a melhor estratégia para que a criança mesma opte por parar de chupar o dedo sem nenhuma imposição.

Precisamos superar a dificuldade que temos para aceitar que não somos donos de nossos filhos, que eles podem e tem suas vontades, e por mais que sejam pequenos e dependentes de nós,  o corpo é deles! Deixemos eles serem livres para explorá-lo,  pela mão na boca, o pé na boca…É mais fácil se aceitamos que na fase oral TUDO vai acabar na boca!   

Precisando ajuda?

A consultoria Mães com Ciência pode ajudar no sono, volta ao trabalho, desmame, desfralde e educação positiva. Saiba como funciona aqui ou  Agende uma consulta virtual aqui.

Texto de Zioneth Garcia.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s