Iatrogenias que podem alterar a qualidade do sono infantil

O termo iatrogenia deriva do grego iatros (médico) e genia (origem), pelo que pode aplicar-se tanto a efeitos bons ou maus de um tratamento. No geral, iatrogenia é usado para os efeitos adversos ou complicações resultantes do tratamento médico. 

Alguns medicamentos usados de forma regular por bebés e crianças podem ter dentro de seus efeitos colaterais alterações na qualidade do sono infantil. Seja por causar desconfortos ou por interagir com alguns dos mecanismos reguladores do sono/vigília a nível neurofisiológico. Quando o tratamento é necessário devemos estar atentos também aos efeitos colaterais. Alguns dos medicamentos mais comuns são:

Suplemento de ferro

Usado em dosagem excessiva causa irritação gástrica e muito desconforto abdominal, a dose preventiva recomendada a partir de 6 meses é 1mg/kg/dia. Não é uma gota por Kg, a dosagem varia com a apresentação, você encontrará no mercado apresentação desde 2,5 até 5 mg/gota. Para um bebê de bebê 5 Kg po exemplo, a dosagem certa seria 2 gotas na apresentação de 125mg/mL ou 1 gota da apresentação 400 mg/mL. 

Já que o ferro é um medicamento de venda livre, não é raro escolher outras marcas ou apresentações na hora de comprar na farmácia, não é errado, mas lembre-se de verificar a composição e ajustar a dosagem antes de ministrar. Prefira ministrar o ferro de manhã, assim terá tempo para avaliar e lidar com os possíveis desconfortos. 

Simeticona

Usada geralmente para controle de gases e cólicas. Ela causa uma aumento na   movimentação peristáltica, o que pode ser dolorido para seu bebê, causando mais desconforto durante a evacuação dos gases. Seu uso deve ser o último recurso, prefira fazer um manejo comportamental e medidas posturais. Avalie porquê há gases? é uma questão de aerofagia? tem problemas na vedação durante a mamada? situações como hiperlactação, uso de mamadeira e chupeta podem  incrementar aerofagia. Veja mais sobre manejo de gases aqui. Caso decida usar, prefira manter seu uso durante o dia, para dar tempo do bebê evacuar os gases antes de começar o ciclo de sono noturno.

Dipirona

Usada para manejo de dor aguda e febre, em dose excessiva pode trazer hipotensão, sonolência, hipotermia. Dose recomendada de 10-15 mg/kg até 20 mg/kg em caso de dor intensa. A composição mais popular é 500mg/mL, onde 1 gota tem 25mg. Vale lembrar que a dipirona é um medicamento regulado e reservado ao uso hospitalar na maioria dos países de Latino américa, América do norte e Europa. Brasil é um dos poucos países que manteve sua venda para o uso comum.

Foto por Karolina Grabowska em Pexels.com

Omeprazol

Usado regularmente para o manejo de casos de refluxo, pode causar dor de cabeça, irritação, boca seca na criança, aumentando pedidos de mamadas e mostrando um aumento do seu estresse em geral. 

Corticóides

Utilizados em quadros alérgicos agudos, podem causar agitação no sono e  baixa qualidade por interferência na via do cortisol que regula diretamente o estado de sono/vigilia. Escolha corticoides de ultima geração, onde os efeitos colaterais são diminuídos.  

Anti-histamínicos

Muito usados quando há crises alérgicas crônicas, ajudam na diminuição do cortisol, causando eventualmente um aumento da sonolência, porém com uma qualidade de sono menor, ciclos curtos ou mesmo sono fracionado ao longo do dia. Hoje existem vários anti-histamínicos que reduzem esse efeito, não produzindo sono. 

Medicação antiepiléptica

Pode causar sonolência, o ideal é organizar os horários de forma que o pico de ação farmacocinética aconteça no meio da soneca ou no meio da noite. 

Bronco dilatadores

Usados em situações de broncoespasmo ou crises de asma, seja por via oral ou inalação, podem causar agitação geral, aumentando frequência cardíaca, interferindo na via do cortisol causando um sono agitado e de menor qualidade de sono.

Foto por Pressmaster em Pexels.com

IMPORTANTE: 

Nunca ministre medicamentos sem prescrição medica, sempre discuta com o pediatra de seu filho possíveis efeitos secundários do tratamento. Use a consulta para avaliar a conduta de crises e a posologia caso necessário uso de medicamentos.

Seu pediatra provavelmente recomendará um medicamento com nome próprio, marca e composição especifica do principio ativo (mg/mL), mas você é livre para avaliar as opções na farmácia, preferindo outras marcas disponíveis ou uso de genéricos. Nesse caso é importante que avalie a composição e ajuste a dosagem junto ao farmacêutico ou pediatra.

Tome cuidado com o uso concomitante de 2 ou mais medicações simultaneamente aumenta as chances de reações adversas. Leia sempre a bula e comente com seu medico caso perceba comportamentos no seu filho muito fora do normal.

Precisando ajuda?

A consultoria Mães com Ciência pode ajudar no sono, amamentação,  desmame, desfralde e educação positiva. Saiba como funciona aqui ou  Agende uma consulta virtual aqui.

Texto original de Zioneth Garcia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s