Sobre crianças, agressividade e animais de estimação.

Animais de estimação fazem parte de nossa família, eles também aprendem a conviver com as crianças, e eventualmente se sentir que na mesma posição ou mesmo acima da criança na hierarquia, mostrando comportamentos com a criança, e suas coisas que talvez não mostram com as outras pessoas nas quais reconhece autoridade e comando. Com o tempo esses comportamentos podem desencadear atitudes defensivas e agressividade nos pequenos.

Prevenir é sempre melhor que remediar, e para isso preparar os animais de estimação antes da chegada do bebê é essencial. Por mais queridos que sejam é importante lembrar que eles não são pessoas e tem necessidades diferentes às nossas. Ter uma estrutura hierárquica bem estabelecida, onde o animal entenda qual é seu lugar, quem profere cuidados, comanda e guia vai facilitar muito quando o bebê chegar.

Foto por Amina Filkins em Pexels.com

A seguir algumas dicas para preparar seu animal de estimação para as mudanças que virão com a chegada do bebê:

  • Se a futura mãe é cuidadora principal, é interessante que aos poucos possa delegar os cuidados com o animal de estimação para as pessoas que estarão lhe apoiando nos puerpério. Comecem pelos passeios, depois a alimentação e por ultimo banhos, medicações e outros cuidados que costumam deixar os animais nervosos.
  • Se seu animal de estimação dorme na cama com você, tire da sua cama, lugar no qual provavelmente o bebê dormira nas primeiras semanas de vida, pelo menos 1-2 meses antes do nascimento. Dará tempo suficiente para que o animal de estimação se acostume à mudança.
  • O conselho de um especialista pode ser de grade ajuda nessa fase, mudanças sempre são difíceis, não apenas para sue amorzinho peludo mas para você também.

Mesmo quando o animal de estimação chega depois dos filhos, e a pesar de chegar um filhote, ao alcançar a adolescência e fase adulta pode desafiar a ordem hierárquica. Alguns sinais de alerta que podem revelar que o seu animal de estimação se colocou como igual ou acima da criança na linha de hierarquia da família, e que devem ser atendidos são: tirar comida da mão da criança, tirar comida do prato da criança (quando come forma da mesa), pegar os brinquedos, sapatos ou outros pertences da criança, procurar sentar/deitar no mesmo local que a criança senta, rosnar quando a criança se aproxima das coisas do animal (prato, bebedouro, brinquedos).

Meu Antonio com nosso Pingo. foto de 2020

As crianças não costumam ficar passivas por muito tempo, em algum momento reclamam seu espaço, usando os recursos que tem a disposição, gritos e se for preciso a agressividade. Se sua criança já tem uma postura reativa frente ao seu animal de estimação, antes de lhe rotular como uma criança agressiva ou que não gosta de animais, analise o comportamento de seu animal. Nesses casos é importante não culpar à criança ela está apenas reagindo à situação, não tem controle sobre suas ações e emoções ainda. O animal também não tem culpa, seu comportamento responde à linha de autoridade e hierarquia que ele entendeu. Por isso, é importante reestruturar essa hierarquia que seu animal de estimação reconhece, colocando a criança acima dele na linha de autoridade, lhe ajudando se em posição de cuidador, que comanda de forma gentil.

Aqui algumas dicas para ajudar nessa situação: 

  • Incentivar a criança a alimentar o animal de estimação, lhe guiando sobre a quantidade local e outros cuidados com o alimento do cãozinho, de forma rotineira. Deve virar hábito! 
  • Incentive recolher / ajudar limpar e adequar os espaços onde o animalzinho fica. Ajudar lavar / sacudir ou aspirar, por exemplo.
  • Peça que seja a criança a convidar o cachorro para o passeio.  Durante os passeios, incentive a criança levar a guia do cachorro (use duas guias) uma longa para o adulto e outra curta na mão da criança para segurança.
  • No caso da cachorrinha já tenha estragado algum brinquedo muito querido pela criança  é importante que ele receba compensação por aquilo, tendo substituição do mesmo. 
Nosso Pingo
  • Estabeleça como regra organizar os brinquedos de forma que não estejam ao alcance do cachorro, especialmente nos períodos que estará sozinho em casa.  Tenha um cesto ou caixa para guardar os brinquedos e outros objetos de criança  rapidamente antes de sair. Não deixem nada de criança  ao alcance do cachorro. Proteger e cuidar suas coisas é uma responsabilidade compartilhada, criança  deve também se sentir responsável pelo brinquedo mordido, uma vez que deixou suas coisas fora do lugar.
  • Ofereça brinquedos especiais para o cachorro aliviar seu estresse, de forma que não precise pegar outros objetos da casa e especialmente de criança .
  • Incentive momentos de brincadeira entre a criança e o cão, usando os brinquedos do cachorro.
  • Alivie o estresse do cachorro adicionando mais um passeio diário ou fazendo o passeio mais longo do habitual.
  • Incentive a criança treinar o cachorrinho, ensinando comandos e oferecendo petiscos.
  • Peça ajuda de um especialista em comportamento animal caso sentir necessário.   

Precisando ajuda?

A consultoria Mães com Ciência pode ajudar no sono, amamentação, preparação para voltar ao trabalho, organização da rotina familiar e educação positiva. Saiba como funciona aqui ou  Agende uma consulta virtual aqui.

*Texto original de Zioneth Garcia.

Crises comportamentais violentas nas crianças: como manejar?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s