5 soluções para as noites frias com bebês e crianças

Antes de virar mãe, o frio chegava com um estoque de vinhos e queijos, uma lista de filmes e séries para assistir embaixo das cobertas com o marido. Por alguns anos o inverno virou meu período favorito do ano. Mas a maternidade chegou e trouxe uma reviravolta. Agora, chega o inverno e oficialmente se abre a temporada de narizes escorrendo, rinites e o medo do frio noturno. Ainda hoje, com duas crianças maiores, a preocupação com o frio se mantém, parece que desenvolvi radar de que detecta a coberta que cai ao chão no quarto ao lado, mesmo que tente ignorar, meu cérebro não me deixa dormir até ir verificar e ter certeza absoluta que as crianças estão bem cobertas e aquecidas. 

O frio realmente pode nos tirar a paz, atrapalhar não apenas nosso descanso, como também levar as crianças a despertar mais à procura de aconchego e calor humano. Por isso vou compartilhar várias estratégias para lidar com as noites frias que tenho experimentado ao longo desses pouco mais de 9 anos de maternidade. 

1- A cama compartilhada, é na minha opinião a melhor forma de ajudar os mais pequenos a regular sua temperatura durante as noites de inverno. Dormir junto facilita monitorar e controlar a temperatura corporal dos bebês, facilita a amamentação e ajuda o bebê regular seu padrão de sono noturno. A cama compartilhada é uma ótima alternativa quando feita de forma segura, vale lembrar que a cama compartilhada não é colocar o bebê na cama do casal, mas adaptar a cama do casal para que seja uma cama familiar (deve ter o espaço para essa terceira pessoinha na sua cama). Além de ter seu próprio espaço, o bebê deve dormir sempre ao lado da mãe, nunca no meio dos pais. O pai não possui o sistema de alerta conferido pelos hormônios maternos no pós parto, que evita que virem sobre o bebê. No caso de consumo de álcool, tabaco, drogas ou medicações com efeito sonífero a cama compartilhada é contraindicada (veja mais sobre cama compartilhada).   

2- O saco de dormir é uma alternativa interessante para bebês que ainda não ficam em pé, e gostam de dormir de barriga para cima. Mesmo que a criança chute ou mexa as pernas com força, o saco de dormir ficará no lugar. Algumas opções oferecem mangas para colocar as mãozinhas, além de capuz. Se seu bebê gosta de dormir de barriga para baixo, se vira durante a noite ou está tentando levantar, talvez não seja mais uma opção, o saco de dormir pode dificultar os seus movimentos. Está opção também volta ser bem útil quando as crianças são maiores e conseguem sair do saco sozinhas, nesse caso modelos mais livres, sem mangas, nas que possam virar dentro do saco sem problemas são melhores. novamente, por mais que chutem ou se mexam não vão ficar descobertos. Uma solução bem simples que adaptei aqui, entre 5 -7 anos, foi usar uma coberta de casal dobrada ao meio e costurada na borda formando o saco de dormir.    

3- Mais e mais camadas de roupas. Às vezes é literalmente impossível conseguir que os bebês ou crianças pequenas, mesmo em cama compartilhada, se mantenham com cobertas sobre seus corpos, eles viram, desviram e chutam a coberta para longe. Nesses casos, tentar prender a coberta com firmeza pode ser pior, eles acordam irritados pela limitação de movimentos. Então o melhor a fazer é cobrir com mais e mais camadas de roupa: body, camiseta, calça, meia, casaco e o meu favorito, o macacão de soft com pezinho, sobre toda a roupa. Se seu bebê é carequinha e perde muito calor pela cabeça, existem algumas opções com capuz também. O macacão com pezinhos é praticamente uma coberta de vestir! Recomendo principalmente quando as crianças já ficam em pé ou caminham, já que permite que se levantem, fiquem em pé ou mesmo desçam das suas caminhas para ir no quarto dos seus pais sem restrição de movimentos.     

Imagem Canva.com – Zioneth Garcia

4- Umidificador e aquecedor de ambiente. Um dos principais problemas no inverno em muitas regiões no hemisfério sul é o ar seco. A queda da umidade relativa do ar, além de ser um facilitador de doenças respiratórias, causa uma sensação de frio ainda maior. Mesmo quando os dias tem sol radiante e os ambientes da casa são aquecidos, a baixa umidade do ar leva a uma queda de temperatura abrupta. A capacidade calorifica da agua permite que mesmo em forma de vapor, atue como um amortecedor da queda de temperatura. Usar umidificador no ambiente onde a criança dorme, além de lhe trazer conforto respiratório, vai diminuir a velocidade com a que a temperatura desce ao longo da noite e madrugada. Pode combinar o uso de aquecedor, no começo da noite, para deixar o quarto quentinho, deixando apenas o umidificador ligado o resto da noite. Umidificador de vapor quente também pode funcionar para aquecer o quarto das crianças.  

5- Prender as cobertas por baixo do colchão é uma dica simples mas efetiva, especialmente com crianças maiores que já não se mexem tanto durante a noite. Ajuda muito quando somos pegos de surpresa pelo frio numa viagem ou no meio da madrugada. Aqui fazemos quase um envelope, deixando apenas um cantinho por onde entram na cama para se ajeitar sob a coberta. 

Precisa ajuda?

A consultoria Mães com Ciência pode ajudar com o sono, desmame , desfralde, ajustes na amamentação e educação positiva.  Saiba como funciona aqui ou  Agende uma consulta virtual aqui

Texto original de Zioneth Garcia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s