7 dicas para diminuir o choro ao usar a cadeirinha ou bebê conforto

Uma queixa muito comum que tenho recebido por parte das famílias é o choro na cadeirinha do carro. As crianças não toleram ficar na cadeirinha, e isto leva as mães e pais a tomar atitudes pouco recomendáveis, como viajar com o bebê no colo no banco de atrás, soltar cinto e se debruçar sobre a cadeira para amamentar, atitudes que colocam a segurança do bebê e a própria segurança em risco. Ou então, o choro é tanto que as mães e pais, simplesmente evitam sair de carro com seus pequenos, fazendo as saídas apenas em situações extremamente necessárias. Ficando frustrados e isolados de suas famílias, amigos e atividades.

Vale lembrar que no Brasil o uso de cadeirinha é lei. Segundo o Código de Trânsito Brasileiro, transportar crianças em veículo automotor sem observar as normas de segurança especiais estabelecidas configura-se como infração gravíssima, cuja penalidade é multa no valor de R$ 293,47 e a medida Administrativa é a retenção do veículo até que a irregularidade seja sanada.

Não esqueça que o choro das crianças é uma forma de comunicação. As crianças podem chorar, é normal, elas se incomodam, não entendem que é pela sua segurança. Mas não é por isso que devemos esquecer a norma ou colocar sua integridade fisica em risco. A continuação dou algumas alternativas para diminuir a rejeição e o choro na cadeirinha ou bebê conforto, para assim  ter uma viagem mais tranquila, sem deixar de colocar a segurança em primeiro lugar. O objetivo é que a criança reconheça a cadeirinha como um lugar seguro e tranquilo que lhe garante estar com sua mãe ou pai.

Dicas para melhorar a aceitação da cadeirinha

1- Use a cadeirinha para brincar em casa. Sente o bebê na cadeirinha , e gradualmente aumente o tempo que fica nela, inicialmente será uns segundos, aumentando pouco a pouco, até conseguir 15-20 min (no máximo, para não causar tédio), primeiro sem o cinto, depois com o cinto sem ajuste, e por último usando o cinto bem fechado. Enquanto ele estiver na cadeirinha realize alguma atividade divertida: cantar, tocar instrumentos musicais,  brincar de esconde-esconde, brincar com o pezinhos, colocar brinquedinhos, etc. Sua presença deve ser constante.

2- Comece sair do alcance da vista quando a criança aceitar ficar na cadeirinha na sala de casa tranquilamente, mantendo o contato pela voz ou sons, novamente aumentando gradativamente o tempo fora de alcance.  

3- Associe o sentar na cadeirinha com palavras que indiquem ações positivas: “vamos brincar”, “vamos cantar”, “vamos passear”. Lembre que a comunicação é também não verbal, seu tom de voz e sua linguagem facial devem refletir animação.

4– Antes de colocar a criança na cadeirinha dentro do carro, garanta que está satisfeita nutricionalmente, e o mais calma possível. Converse e explique para onde vão, onde você estará e que vão fazer.  

5- Garanta que a cadeirinha está bem ajustada, e que o bebê não balança dentro dela. O balanço e os movimentos constantes dentro da cadeirinha pode lhes causar insegurança, e eventualmente mal estar (náusea, enjoo ou azia). Bebês com refluxo são especialmente sensíveis a esse mal estar durante viagens, até mesmo curtas. Alguns modelos, especialmente os modelos evolutivos, podem precisar de adaptadores para a criança se sentir mais protegida. Observe como fica seu bebê na cadeirinha e se preciso adapte. Para bebês novinhos pode ajudar bastante fazer a contenção com o cueiro, após ter fechado o cinto.



6– Siga as recomendações legais. Bebês menores de um ano devem ir virados para atrás, pela sua própria segurança, já que o pescoço ainda não consegue lidar com o peso da cabeça totalmente, e pode ter lesões, mesmo e pequenas freadas. Não se esqueça de dirigir com cuidado, evitando freadas e giros bruscos.

7- Evite viajar atrás com a criança, é melhor a mãe ir no banco da frente. O bebê não entende de segurança, ele apenas vê como “rejeição” ficando mais irritado de ver a mãe que não o pega no colo ou amamenta. Não coloque a segurança do bebê em risco tirando da cadeirinha. Se houver choro, ofereça estímulo oral com seus dedos ou com mordedores diversos. Caso seu filho estiver usando chupeta, essa é uma boa hora para oferecer. Se seu filho gosta de vídeos e musicas, também são bem vindos.

Dica bônus: quando são maiores de uma ano, use brincadeiras de colocar bonecas no bebê conforto, explicando o porque é importante, e mostrando através da brincadeira os riscos.

Precisando ajuda ?

A consultoria Mães com Ciência pode ajudar no sono, amamentação, desmame, desfralde e educação positiva. Saiba como funciona aqui ou  Agende uma consulta virtual aqui.

*Texto original de  Zioneth Garcia

Veja também

Amar é proteger: no trânsito NUNCA deixe de usar a cadeirinha.

Denatran reforça a importância do uso de cadeirinha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s