6 Mitos sobre o desmame noturno

Depois que os bebês completam um ano de vida, os alimentos sólidos começam gradativamente substituir o aleitamento, os ciclos circadianos se estabelecem e a criança pode ficar mais tempo sem mamar a noite. Adicionalmente o cérebro da mulher que até então satisfazia se com 3-4 horas de sono noturno, começa solicitar mais horas de sono continuo, tornando cada vez mais cansativas as noites com múltiplos despertares para acolher o bebê. É então que muitas família começam pensar no desmame noturno. Venha ver 6 mitos que as famílias escutam frequentemente.

1- Depois do desmame noturno vai dormir a noite toda

Mentira! Quando uma criança para de mamar durante o período de sono noturno, não significa que a necessidade de acolhimento noturno diminui, apenas que é capaz de reconhecer e aceitar outras formas de conforto além da sucção.

O Padrão de sono das crianças evolui junto ao seu desenvolvimento neurofisiológico. O despertar noturno à procura de acolhimento é normal até 3-4 anos. Vai diminuindo a frequência, intensidade e duração desse despertar gradualmente com o crescimento, na medida que as relações com o ambiente se tornar mais seguras. Tendo 1 -2 despertares a noite entre 1-2 anos, 1 vez por noite entre 2-3 anos, e despertares esporádicos próximo dos 4 anos.

2- Depois do desmame noturno vai comer melhor

Mentira! Se a alimentação não está correndo como esperado é importante avaliar as causas da recusa alimentar, observando desde as expectativas e comportamentos dos adultos até a rotina e preferências da criança. O aleitamento noturno geralmente apontado como responsável pela recusa de alimentos pode ser justamente o suporte nutricional que evita que a criança tenha comprometido o aporte de nutrientes essenciais para seu crescimento. Cortar o aleitamento noturno sem avaliar as causas da recusa alimentar, pode agravar esse comportamento de recusa alimentar, uma vez que ao privar a criança do seu mecanismo de conforto primário, a sucção, a irritação e estresse tomam conta do seus dias, dificultando ainda mais o processo de experimentação de novos alimentos.

Para o desmame noturno não impactar o estado nutricional da criança, deve haver um preparo emocional e comportamental, de todos os envolvidos no processo: mãe, pai, cuidadores e é claro a criança. O aleitamento e a alimentação diurna devem garantir a oferta de nutrientes completa para a criança, antes de qualquer tentativa de regulação do aleitamento noturno.

Imagem Canva.com – assinatura Zioneth Garcia

3-Depois do desmame noturno vai aceitar que o pai o coloque para dormir

Mentira! A aceitação do pai ou qualquer outro cuidador na hora de dormir não depende do bebê nem de desvincular o sono da amamentação. O comportamento dos bebês é pessoa específico, eles sabem o que cada um dos seus cuidadores pode ofertar. A relação do bebê com outros cuidadores, além da sua mãe, se constrói diariamente, não é de um dia para outro, leva tempo e dedicação. O bebê precisa confiar, se sentir cuidado e amado para se permitir relaxar e se entregar ao sono.

Para dormir o bebê precisa estar calmo, satisfeito nutricionalmente e receber ajuda para relaxar. Mesmo que a sua mãe não esteja disponível, se o cuidador mostrar disponibilidade emocional para acolher o bebê ele conseguirá dormir. O contato físico, o colo e o embalo, por exemplo, podem ser muito boas estratégias para ajudar o bebê adormecer quando sua mãe não está por perto. Não é preciso esperar por um desmame para tentar.

4- Dormir longe da mãe vai fazer que o bebê esqueça o seio

Mentira! Uma prática muito comum é afastar o bebê da sua mãe na intenção que “aprenda dormir sem o seio”, seja deixando o bebê ou criança dormir aos cuidados de uma terceira pessoa ( avó, babá, pai, etc) enquanto a mãe se afasta por algumas noites. Nesses casos o bebê pode até dormir bem por uns dias, sem solicitar o seio durante a madrugada, especialmente quando recebe acolhimento, com colo e muito contato físico de seus cuidadores na ausência materna. Porém, no retorno da mãe os pedidos de mamadas noturnas também costumam voltar e muitas vezes acompanhados de um aumento considerável dos pedidos de mamadas diurnas.

Isto acontece porque a ausência materna é um período de muito estresse para o bebê, pelo que a tendência será procurar aliviar ele através da sucção (uma vez que estão na fase oral). O bebê não esquece nem sua mãe nem a forma que ela o acolhe, o seio. Vale lembrar que o comportamento dos bebês é pessoa específico, eles sabem o que cada um dos seus cuidadores pode ofertar, assim, mais que forçar um desmame noturno por ausência materna é importante abrir o leque de possibilidades que a mãe tem a oferecer ao seu bebê para lhe acalmar. Em outras palavras, o bebê precisa enxergar a sua mãe além de um par de seios e aprender juntos a se conectar através de outras formas além da amamentação.

Para o desmame noturno ser bem sucedido é preciso de preparo emocional de ambas partes, mãe e bebê, a mãe deve aprender a acolher sem o seio e o bebê aprender a reconhecer que sua mãe oferece mais que sucção.

5- A mamadeira noturna vai evitar que acorde a noite para mamar

Mentira! A mamadeira com fórmula infantil durante a noite ou madrugada é popularmente sugerida como estratégia para os bebês dormirem mais tempo ou “a noite toda”. Porém, tem vários problemas nessa prática, ela não garante que os bebês diminuam o número de despertares. De um lado, devemos considerar que pelo menos até seus 3-4 anos, um despertar noturno pode ser normal, não por alimentação, mas pelo seu desenvolvimento neurofisiológico, ciclos de sono mais curtos, significam mais passagens pelo sono REM durante a mesma noite, ou seja, muitas mais oportunidades de fixar aprendizados e memórias. Por outro lado, não podemos esquecer que nem sempre que acontece um despertar durante a noite ou madrugada é para mamar por fome, pode ser despertar apenas à procura de acolhimento, por sucção não nutritiva ou aconchego, para conseguir emendar o seguinte ciclo de sono rapidamente.

Ignorar que o bebê também procura a sucção não nutritiva durante a noite pode levar a aumentar consideravelmente a quantidade de leite que é ofertado ao bebê. Uma vez que na mamadeira o bebê não consegue diferenciar a sucção nutritiva e não nutritiva, os cuidadores podem entender como fome a sucção de uma mamadeira vazia no meio da madrugada, impactando o equilíbrio nutricional, se refletindo inclusive no ritmo de aleitamento e alimentação diurnos.

Adicionalmente , o bebe pode simplesmente rejeitar a mamadeira vinda de outras mãos diferentes às da sua mãe, ou seja, o problema de despertar noturno pode continuar e aumentar uma vez que precisará de muito mais esforço para preparar a mamadeira do que simplesmente oferecer o seio. Ao introduzir a mamadeira de madrugada, sem importar a idade, introduzimos o risco de confusão de bicos, podendo diminuir consideravelmente a produção de leite materno e assim colocando em risco a amamentação.

Foto por Helena Lopes em Pexels.com

6 -O sono da criança e da família só vai melhorar depois do desmame noturno

Mentira! O desmame noturno não é recomendado para menores de um ano, porém, isto não significa que mães de bebês menores de um ano estejam condenadas às noites mal dormidas. Quando a amamentação noturna está intensa, e o bebê acorda repetidamente é importante avaliar as possíveis causas. Amamentação na grande maioria das vezes não é o problema, muitas vezes é justamente o que não permite que as noites sejam piores. O desmame noturno não é a única solução para melhorar o sono do bebê e sua família. Antes de pensar em desmame é importante avaliar a higiene do sono, o que vai incluir ajustar o ciclo de aleitamento, a rotina familiar, as atividades durante o dia, as sonecas e é claro comportamentos associados à hora de dormir. Os bebês precisam relaxar para conseguir dormir, é por isso que procuram o seio tanto no começo da noite como ao longo dela.

Não é preciso esperar pela idade do desmame para começar a melhorar o sono familiar.

Precisa ajuda?

A consultoria Mães com Ciência pode ajudar com a amamentação, o sono, desmame , desfralde, ajustes na amamentação e educação positiva.  Saiba como funciona aqui ou  Agende uma consulta virtual aqui

Texto original de Zioneth Garcia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s